20 de abril de 2020

sobre aquilo que ainda não aprendi

Boa noite! Fechei o blog outra vez devido à instabilidade mental e derivados de alguma crescente ansiedade e disforia que assolavam meu peito. De fato, agora estou tomando medicação para tal e de súbito já não sinto as mesmas coisas. É um pouco curioso perceber que um traço que eu podia jurar ser natural da minha personalidade e vivência decorre na verdade de um transtorno mental, mas tenho me cuidado muito mais desde esse dia e inclusive passei a fazer exercícios. Pretendo escrever, se possível, uma postagem exclusivamente a respeito desse "afastamento" e de tudo que aconteceu nesse pequeno tempo (às vezes eu sinto que minha vida acontece rápido demais).

A questão do coronavírus tem sido o grande elefante branco na sala da minha cabeça. Eu me recuso a escrever ou pensar sobre isso na maioria do tempo e dou graças a quaisquer possíveis entidades superiores que minha cidade só tem 15 casos confirmados em mais de um mês, todos estáveis e contando com ótima assistência da parte da prefeitura. Aqui em casa tomamos todas precauções possíveis, desde álcool em gel a máscaras caseiras e distanciamento social. Aborreço-me em demasia pela situação relativa ao presidente, que é mais irresponsável do que posso medir.

Tentando me distrair disso, coloquei um sambinha pra tocar e decidi tentar escrever uma das propostas mensais do Together, que inclusive me mimou com plaquinhas nesse mês por ter acertado alguns desafios ♥️ Essa postagem é referente ao tema 2, em que devemos escrever sobre coisas que gostaríamos de aprender.
(eu hoje estou me sentindo assim)
Confecção de pulseiras de pé
Tenho sentido bastante falta de usar uma coisinha no pé ao estilo bem 2013 sdksjd Geralmente quem faz meus colares sou eu e eu tenho várias conchinhas em casa da última vez que fui à praia, então estou bem empolgada nessa ideia. O que me falta é alguma cordinha que seja firme e a coordenação motora necessária pra furar uma conchinha! Quem sabe, depois que essa cair tendo em vista que uso as pulseirinhas até que elas arrebentem sozinhas, não confecciono outras com miçanguinhas, pedras bonitas, cristais e outras coisas?

Tocar violino e escaleta
Quero aprender por um motivo básico: Eu tenho um violino e uma escaleta. Como já tenho certa proficiência em violão e ukulele (se descontarmos os dedilhados, pois só sei tocar duas músicas dedilhadas) e já fiz umas aulas de violino, acredito que não será tão difícil quanto pra alguém que não tem as noções básicas de música. Não tenho começado porque sinceramente eu tenho feito bem pouca coisa kjsdkfsdjkf Ter cuidados básicos comigo mesma já tem sido uma grande coisa, pra falar a verdade. Mas assim que recuperar meu ânimo, quero começar pela escaleta!

Escrever uma história em algum site de fanfics
Eu pessoalmente não sou muito de fanfics desde que comecei a ler as de k-pop e percebi como é macabro tratar pessoas reais como personagens, principalmente em romances. Mas sei que as plataformas como Spirit e Wattpad são muito famosas e é muito fácil de se divulgar através das mesmas, mesmo com histórias originais. Eu sou muito tímida pra postar esse tipo de coisa em redes sociais de fanfic e sinto falta de quando não era mas espero que seja possível.

Elogiar as pessoas e aceitar elogios
Black And White Smile Sticker by Colin Raff for iOS & Android | GIPHYPra mim é simplesmente impossível reagir a um elogio sem responder "vjskdjfs" ou fazer alguma expressão facial assustadora e péssima pro momento, bem como é realmente difícil de elogiar outra pessoa sem que meu coração dispare e eu fique desconcertada. Admiro aquela galera que consegue lidar com as situações em questão e ainda reagir com o obrigado — ou, ainda mais informal, um "valeu" — e apesar de eu estar treinando muito,  é difícil já que às vezes eu chego a chorar de vergonha. É isso aí.
-------

Bom, essas são as únicas coisas nas quais eu consigo pensar kdsjdks Com certeza tem outras coisas envolvendo arte, o âmbito acadêmico, culinária e até mesmo mecânica que resolvi não mencionar porque quero que as postagens sejam leves de escrever para que assim não se tornem o peso de alguma forma. Até a próxima! :-)

31 de março de 2020

âmago

às vezes parece
que se eu gostasse de mim
do jeito que a gente se gosta
eu não teria mais problemas

e se eu entendesse como funciono
da mesma maneira que te sinto e compreendo
talvez eu não me prendesse
a esses fúteis, inúteis dilemas 

dicotomias estranhas 
mas que Perfuram
Trituram
Destroem
Garfeiam
Putrefam
minhas entranhas.